RUELA DE PRAIA

Crisálidas que se tecem na noite
Crisântemos que se mostram de dia
Conchas marinhas nutridas de todos os mistérios do mar
Corbelhas de flores exóticas, de frutas afrodisíacas
Córregos serenos, sedentos, cristalinos
Cor-de-rosa de aurora solitária e nua
Calmaria de mares distantes, de navegações lentas
Cardumes sinuosos, silenciosos, do fundo de mares sagrados
Cambraias brancas, suaves, macias, mornas
Crepitar de madeiras, de galhos perfumados em fogo azul
Crepúsculos de infinitos horizontes vertiginosos
Cadências, canções, castanholas, campânulas
Cactos doces de desertos áridos
Cruzes tristes, vagabundas, de beira de estrada
Carinho de anjos famintos de desejos
Cores distantes, perdidas, muito além do anil
Ciranda de crianças pobres de lugarejos remotos
Cálidas, cúpidas, secretas paixões...
Numa ruela de praia, grito aos seres e às coisas:
Viveu, um dia, dentro de mim,
A esperança de um amor eterno, livre e soberano.

Do livro Para Alem do Peito Tatuado
Parte: A tentativa do Amor

 
Jocadeoliveira.comę 2006 All Rights Reserved.