Aumenta aos poucos

O grupo que está à porta

As mãos antes vigorosas

No trabalho ou na prece

Agora se fecham em punho

Feito flor que recrudesce

Ao botão

Murmurejam pragas

Entre as orações

E assim, retiram

Um a um

Os tijolos do edifício.

 

FRANÇA,

Cafuné, Olinda-PE, 2003