ALÔ, REI!

Alô, rei!
Já estamos dentro de uma bomba atômica
E não temos mais como fugir.
Terra
Prótons Nêutrons Elétrons
Minha casamata é minha poesia néon...
Luz
Minha poesia levantará
Uma camada de poeira estranha e envolvente,
Que afugentará o brilho apocalíptico
E me dará a ilusão da eutanásia.

Ah, rei,
A bomba não apagará nossas almas podres
E nossos corpos serão como visões.
Minha poesia pairará sobre:
Edifícios incandescentes,
Olhos vidrados,
Flores partidas,
Rosas corrompidas,
Sexos putrefatos...
Será luz sobre o Caos.

Letra: JOCA DE OLIVEIRA
Música: ANTÔNIO REINIVALDO, o Crente


 

Jocadeoliveira.comę 2006 All Rights Reserved.